O que aprender com a Economia Chinesa?

Como a China pode servir de inspiração para o Brasil acelerar seu crescimento?

A China, como o país mais populoso do globo, com 1,4 bilhão de habitantes possui uma forma diferente de agir diante da política e economia. Por lá, as políticas públicas incorporam a mentalidade do experimento, buscando escalar rápido o que dá resultado.
Por aqui no ocidente vimos o oposto, os governos minimizam riscos e agem com mais cautela. Além disso, no país asiático, a inovação e a competição empresarial são estimuladas.
O que as empresas brasileiras podem aprender com esta mentalidade e filosofia diferenciada que encontramos na cultura chinesa? Continue lendo para entender melhor a respeito do tema.

Crescimento Chinês

Em 1978, a China era um país pobre, essencialmente agrícola com uma economia estagnada e atrasada do ponto de vista tecnológico e uma população isolada do mundo. A China vivenciou um tipo de industrialização que se diferenciou da maioria dos territórios do planeta. O desenvolvimento industrial chinês ocorreu ao longo do século XX e foi regulado pela forte presença do Estado.
Nas últimas décadas, o país asiático foi responsável por 30% do crescimento mundial. No último ano, com a Pandemia do Covid-19, a China foi a única potência em crescimento, com um PIB de 2,3% (menor valor em 44 anos).

Zonas Econômicas Especiais

As primeiras Zonas Econômicas Especiais foram criadas em 1979 com o objetivo de direcionar a atividade industrial e de atrair investimento estrangeiro. Foram criadas também leis especiais para estas regiões, com relação a propriedade dos terrenos e as relações trabalhistas, incentivando a abertura de novas indústrias.
Os principais objetivos das ZEEs foram de alavancar a produção industrial da China, que se encontrava em crise desde a década de 1960, e fortalecer o volume total de exportações do país, além de impulsionar a reforma e a abertura sob novo ambiente nacional e internacional.
Nestas regiões é possível o empresário negociar com o exterior, acrescentando a esta conta os incentivos fiscais, o desenvolvimento tecnológico, a disposição de mão de obra e a infraestrutura logística de primeira, resulta no prato cheio para o crescimento econômico. Atualmente a China possui 11 ZEEs, espalhadas em diferentes regiões do país.

Infraestrutura Logística

É possível entender muito sobre a economia de um país através da análise da sua estrutura logística de transporte. No caso da China, o investimento pesado nos projetos rodoviários, aeroportuários e marítimos em conjunto com sua relação com o modelo econômico fundamentado em exportações pode explicar sobre os desafios do país asiático.
O maior porto marítimo fica em Xangai, o segundo maior aeroporto fica em Pequim, além de rodovias sendo construídas em vários pontos do globo ligando a China com diversos países tanto da Europa, quanto África e Ásia. De fato, o investimento intenso em infraestrutura logística contribui para a redução dos prazos de entrega e custos e o aumento da capacidade produtiva de todo o país.
E você? Já incluiu as importações no planejamento estratégico de sua empresa? Se precisar da ajuda de um especialista, conte com a Asia Source Brasil!  

PLANEJA IMPORTAR?

ELABORAMOS O SEU PROJETO DE IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS

Entre em contato e saiba como mudar a sua empresa a partir de consultoria especializada. Preencha o formulário e agende uma consultoria, de maneira rápida e prática!

Saiba mais

Asia Source Brasil

32.841.631/0001-20

Rua Anita Garibaldi, nº 79, Anita Garibaldi, Joinville - Santa Catarina

contato@asiasourcebrasil.com.br